segunda-feira, 20 de abril de 2015

Novo blog!

O Le strict nécessaire está de carinha nova!

A partir de agora acesse:

www.lestrictnecessaire.com.br 

Espero que gostem das novidades!

Um beijo,

domingo, 12 de abril de 2015

Look florido do dia!

Quem disse que por aqui não teria um pouco de estilo? :)


Adoro trocar ideias quando o assunto é roupa. Que mulher que não gosta, né?

E, pra mim, a roupa mais feminina e prática do mundo sempre foi o vestido. É tão confortável!! 




Uso em todas as estações do ano: com chinelinho ou sandália no verão, com meia calça e bota no inverno, acho uma graça!

Como esse final de semana fez um sol lindo, ainda deu para aproveitar um floralzinho bem verão, que delícia!


Esse vestido é da loja Bamboo que fica no andar da praça de alimentação do Trindade Shopping, em Florianópolis.

A loja tem vários vestidos fofos e quem atende é a própria dona, que é toda estilosa e um AMOR!!!


Espero que esse calorzinho bom continue por mais alguns finais de semana...


Um beijo e ótima semana pra vocês!








sexta-feira, 10 de abril de 2015

A Linda Casa do Maranhão!


Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá;
As aves, que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá

Gonçalves Dias – Poeta Maranhense


O Maranhão é o berço de grandes poetas brasileiros, a cidade realmente respira história e cultura...

Pra quem adora saber um pouco mais sobre isso, a Casa do Maranhão é imperdível!


Ela é o primeiro Centro de Interpretação Turístico e Cultural do Brasil e é novinha: foi inaugurada em dezembro de 2014 com o objetivo de preservar e divulgar a cultura maranhense.


O espaço é enorme e tem várias salas. Nelas há textos sobre literatura, poesia, informações técnicas e também recursos audiovisuais de ponta... um museu multimídia.




A casa é aberta para visitação de terça-feira a domingo e os guias apresentam todo o acervo, que é também formado por vestimentas e instrumentos musicais usados nas festas do Bumba-meu-boi.





Gente, essa festa, também conhecida como São João, é uma festa linda que acontece por lá. É a festa mais marcante da cultura popular maranhense.

Ela acontece principalmente entre os meses de junho e julho e ocupa toda a cidade... grupos de todo estado se reúnem para dançar e cantar.


Curiosidade:

O enredo do Bumba-meu-boi conta a história de Pai Francisco, um escravo que, para saciar o desejo de sua esposa grávida por uma língua de boi, mata o gado de estimação do senhor da fazenda. 

Percebendo a morte do boi, o senhor convoca pajés e curandeiras para ressuscitar o animal. O boi volta à vida e a comunidade festeja.

Cada grupo tem um SOTAQUE, que é uma forma própria de se expressar através das vestimentas, da coreografia, dos instrumentos escolhidos e do ritmo da música.


Os 5 sotaques mais famosos são: Matraca, Zabumba, Orquestra, Baixada e Costa de Mão.

Por exemplo:

Com relação aos instrumentos, o sotaque Matraca tem como principal instrumento a matraca, que são dois pedaços de madeira batidos um no outro e o pandeiro rústico, que é feito de couro de cabra. 

Já o Costa de Mão são pandeiros tocados com as costas das mãos. Orquestra utiliza instrumentos de sopro e corda, e por aí vai...
















Eu AMEI esse lugar. Vejo as fotos e sinto o ventinho do mar entrando pelas porta-janelas abertas, as músicas alegres tocando... é muito, muito gostoso de conhecer!


Eu adoro conhecer a história e cultura desse povo que, quanto mais eu conheço, mais eu gosto!

Por hoje é isso... logo vou escrever sobre os lugares que indico para comer em São Luis.


Um beijo!!






A Casa do Maranhão fica no Centro Histórico e os horários de visitação são:
Segunda a sexta das 9 as 17 horas
Domingo das 9 as 13 horas
A entrada é gratuita.

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Do sul ao Nordeste... Bem vindos à Ilha do Amor!

Boa tarde!!

Finalmente consegui parar e colocar as novidades em dia aqui para vocês! Aproveitei o feriado para atravessar o país e visitar São Luís do Maranhão. É a segunda vez que visito a cidade e já estou planejando a terceira...

Os próximos posts serão sobre o que visitei dessa vez por lá e que merece ser compartilhado.

Vocês sabiam que a cidade de São Luís é conhecida como Ilha do amor, cidade dos azulejos, capital brasileira do reggae, patrimônio da humanidade, capital brasileira da cultura? Pois é. Essa cidade exala cultura e riqueza histórica... Por isso vou começar esta sequência de publicações contando sobre o charmoso Centro Histórico, localizado no bairro de Praia Grande.

Tive o privilégio de passear por lá e ter uma aula de história ao mesmo tempo com o querido Bruno Leone, que é jornalista, publicitário, Mestre em Línguas, Literaturas e Culturas e Doutorando em Línguas e Literaturas Modernas pela Universidade de Coimbra. Ou seja: Uma verdadeira enciclopédia! Adorei!

Bom... continuando...

Conhecido também como Reviver, esse lugar reúne grande parte do acervo cultural de São Luís e foi tombado pela Unesco como patrimônio histórico. O casario colonial é formado por cerca de três mil construções que nos conduzem a uma viagem ao século XVIII, quando os portugueses tomaram a cidade dos franceses.

Muitos acham que o nome do bairro é Reviver, mas na verdade este é o nome do projeto de revitalização do Centro Histórico realizado em 1987, que teve como objetivo resgatar o que de mais rico a ilha guarda de séculos passados, a sua história.

Dá pra passar uma tarde inteira caminhando por lá, observando os famosos azulejos portugueses (há também exemplares franceses, belgas e alemães) aplicados nas fachadas das residências no século XIX, e os detalhes dos sobrados restaurados que se espalham por ruas de pedra, becos, ladeiras e praças.

Algumas das várias ruas do Centro Histórico


Algumas das construções que mais me chamaram atenção: A Casa da Tulhas, a Igreja da Sé, o Teatro Arthur Azevedo e o Palácio dos Leões, sede do governo do estado.

Igreja da Sé - merecia quase um post exclusivo. Ela é linda demais!

Palácio dos Leões

O Restaurante com as Namoradeiras na janela

Teatro Arthur Azevedo - Maravilhoso!!!

A Casa das Tulhas é tipo um mercado público: na parte externa há lojas, restaurantes, bares e lojas de artesanato; e na parte interna são vendidos produtos típicos como a cachaça, o camarão seco e outras iguarias maranhenses. O maranhense tem o costume de comer camarão seco inclusive com açaí. Mas nem vou entrar nos detalhes da culinária, pois isso precisaria de um post exclusivo!

Fachada e algumas iguarias vendidas na Casa da Tulhas


Aliás, falando em post exclusivo, o que mais gostei de conhecer dessa vez no Centro Histórico foi a Casa do Maranhão. Pensei em contar sobre ela hoje mesmo, mas acho que já me estendi demais. Prometo contar tudo sobre essa casa recentemente inaugurada na continuação do tour pela capital maranhense aqui no Blog. E então quero aproveitar e contar algumas particularidades e costumes do povo maranhense que eu adoro!

Gostaram de saber sobre o Centro Histórico? Me contem!

Eu e Bruno Leone

Faço questão de agradecer ao Bruno por toda atenção! Aliás, quem quiser saber mais sobre o que acontece no Maranhão, ele escreve para o Jornal Pequeno, um importante jornal de lá





Um beijo,


Gá.



Blog do Bruno: http://blog.jornalpequeno.com.br/brunoleone

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Em clima de Páscoa... porque Ele vive!

Olá!

Não foi ontem que entramos em 2015? Que desmontamos a árvore de Natal?

Pois é... mais um ano que está voando e, sim, já estamos na Páscoa.

Minha família sempre teve o costume de decorar a casa nesta época, assim como fazemos no Natal. Afinal, o motivo é tão especial quanto o comemorado no final do ano. É a festa do renascimento e da promessa de vida eterna! Existe algo mais maravilhoso do que isso? 

Hoje vou compartilhar com vocês algumas ideias sobre como fazer a Osterbaum. Mas o que é essa Osterbaum?

Do alemão,  significa Árvore de Páscoa. Ela é montada utilizando galhos secos, que representam a morte de Cristo. Nesses galhos são penduradas cascas de ovos coloridas, simbolizando o renascimento da vida, a alegria da ressurreição.

Além de simbolizar algo tão grandioso, a Osterbaum também deixa a casa super charmosa!

E é super fácil de fazer!

Você precisa só dos galhos secos e dos ovos decorados. Para quem tem crianças em casa, é bem mais interessante pintar os ovinhos. Fiz muito disso quando criança e considero como uma das melhores lembranças da minha infância.

Mas hoje, como não tenho mais tanto tempo livre, prefiro o mais prático: comprar os ovinhos prontos em lojas de 1,99, rs!

Agora ficou fácil! Tudo que você precisa fazer é organizar os galhos secos em um vaso e pendurar os ovinhos decorados.

Veja alguns modelos para se inspirar:






           


Lindas, não?

A da minha casa ficou assim:



Além da árvore, há várias opções para decorar a casa usando ovinhos:



Adorei essa ideia com as velinhas!

Coisas da dona Norma :)

Para quem não sabe, a cidade de Pomerode - SC fez  este ano uma Osterbaum com 80.000 casquinhas de ovos coloridas. Ela está pleiteando um lugar no Guinnes Book como a maior árvore de Páscoa do mundo. Atualmente, o título mundial pertence à Rostock, na Alemanha, onde foi decorada uma árvore com 76.596 casquinhas de ovos em 2009. 


Osterbaum em Pomerode - SC.

Linda, né?

E então, vamos deixar a casa linda para a Páscoa?

Independente de aderir ou não à decoração, o que importa mesmo é aproveitarmos este tempo para reflexão, buscando a renovação diária da fé, do amor, da alegria e da paz em nossos corações. O mundo está precisando tanto disso!

Desejo uma feliz e abençoada Páscoa! 
Ah! E uns chocolatinhos, porque contribuem para a busca da alegria, rs.


Um beijo,






Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida, quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá.

João 11:25





segunda-feira, 30 de março de 2015

Peppo Cucina, pra fechar POA com chave de ouro.

Boa noite!

Finalmente parece que a chuva deu uma trégua, mas o ar já está bem mais fresco e o casaquinho reserva já está no banco de trás do carro.

Eu particularmente sofro quando o verão vai embora, mas sei que o friozinho também tem suas vantagens. E uma delas é comer! Uma bela massa acompanhada de um bom vinho tem a carinha da estação que se aproxima e a dica de hoje é de dar água na boca.

Fotinho by Google: Fachada do restaurante
Fechando o mini tour por Porto Alegre, apresento a vocês o Peppo Cucina!

Sabe aquele lugar que enche os olhos? O ambiente é tão aconchegante que eu poderia ficar horas por lá... e fiquei, rs.

O Peppo Cucina tem vários ambientes, mas o meu preferido sempre costuma ser o externo. Lá não foi diferente. 

Olha que delícia:

Área externa
Mas em um dia mais frio, a área interna também é bem convidativa.









O cardápio é tentador, e oferece, claro, pratos italianos: basicamente massas e risotos. Mas também tem opções de carnes e saladas. E importante: por preços justos.

A carta de vinhos... ahhh a carta de vinhos...  só não perdi mais tempo decidindo, pois estava bebendo sozinha e então peguei uma meia garrafa, restringindo um pouco minhas opções. Ufa! Isso as vezes é um alívio para pessoas indecisas como eu.

Bem, além da variedade deliciosa de vinhos, espumantes e afins, o cardápio conta com muitas opções de drinks. As opções de vodka são: Absolut, Danzka, Belvedere, Grey Goose, Stolichnaya e Wyborowa. Fora as nacionais. Desculpem a ignorância, mas eu nem sabia da existência de metade dessas marcas, rs!

Whisky? Umas 40 opções. Realmente, quem aprecia um lugar bacana para comer e beber com qualidade, não pode deixar de visitar o Peppo quando for a Porto Alegre.

Apesar de o cardápio ter tantas opções, minha escolha quando se trata de massas acaba sendo o bom e velho carbonara.  

Spaghetti Alla Carbonara 

 Impecável. Vejam que como cortesia eles servem uma entrada com pãezinhos divinos.

A sobremesa, sugerida pela casa, superou as expectativas: Gelato del Peppo - Sorvete Häagen-Dasz Strawberry com renda de amêndoas e calda de frutas vermelhas.

Gelato Del Peppo


Saí de lá quase rolando, mas feliz por uma noite tão agradável. Aliás, são esses momentos gostosos que deixam nossa vida mais alegre, não é? 

E eu adoro me presentear com esses momentos.






Ah! Já ia esquecendo...

Já que estamos aqui pra falar de gostosuras e fofuras, o que é esse banheiro?!

Adoro esse ar vintage!

Fui obrigada a tirar uma fotinho também. hehe


Gostaram da dica? Esse lugar é realmente imperdível. Pretendo voltar para passear por essas bandas gaúchas em breve e, sem dúvida, o Peppo está na minha lista le strict nécessaire.


Para quem quiser mais informações, o site dele é www.peppo.com.br. Lá você tem acesso ao cardápio que trás também os valores dos pratos. Acho útil.


Um beijo,





Endereço do Peppo Cucina: Rua Dona Laura, 161 - Rio Branco, Porto Alegre - RS


domingo, 29 de março de 2015

Mais sobre Porto Alegre: Mateando no Guaíba.

Olá!

Hoje vou falar um pouco mais sobre lugares. Como prometido, ainda sobre o que visitei e as impressões que tive da cidade de Porto Alegre - RS.

No meu segundo dia lá fui conhecer a orla do Guaíba e seu famoso pôr do sol.  

Apesar de ser considerado por muitos como um rio, o Guaíba é um grande lago ao qual a cidade de Porto Alegre está histórica e culturalmente ligada, desde a chegada dos primeiros casais açorianos até o atual desenvolvimento econômico da região.

A beira deste lago está localizada a Usina do Gasômetro, uma antiga usina de geração de energia, que, apesar do nome, era movida a carvão mineral. O complexo arquitetônico recebeu esse nome devido à proximidade de uma antiga usina de gás localizada na região. O tal "Gasômetro" fazia referência a área onde hoje está a Usina, chamada de Volta do Gasômetro.

Em 1970 ela foi desativada e, devido a reação da sociedade diante da possibilidade de demolição, foi reformada e transformada em centro cultural. Hoje é um dos pontos mais tradicionais da cidade para ver o pôr do sol, além de ser palco de diversas manifestações artísticas.

Finalzinho do pôr do sol
Infelizmente não cheguei a tempo para ver o espetáculo completo, mas o pouco que vi realmente faz jus à fama. Eu, particularmente, amo apreciar um pôr do sol, então valeram a pena os poucos minutos de contemplação.

O lugar em si me decepcionou um pouco, pois, por se tratar de um ponto turístico, estava bem abandonado: As poucas áreas onde havia algum verde estavam bem mal cuidadas. O restante era apenas areia, passando aquela impressão de algo sem vida, sabe? O que achei legal é que um projeto de revitalização desta área está em andamento e, pelo que li a respeito, ficará muito bom. Torço para que o projeto saia do papel, os gaúchos e os turistas agradecem. :)

Fotinho by Google: Vista noturna do Gasômetro. 


Antigos fornos da Usina
Nas paredes, a história
Dentro da Usina o clima é meio bizarro a noite: poucas pessoas circulando, apenas o piso térreo iluminado e com uma exposição de arte. 


Há uma cafeteria no último andar não muito atraente e um senhor no balcão de informações um pouco mal humorado. 

Apesar de as impressões parecerem um pouco negativas, gostei bastante de conhecer. Um som de piano ao fundo de todo esse cenário deixou o ambiente mais leve e acolhedor.

Só não recomendo ficar andando por lá a noite, os próprios guardinhas me falaram que não é aconselhável. Me senti mais segura pela presença deles e também por ter Wi-Fi liberado, o que facilitou a procura por um táxi.

O próximo post ainda será sobre Porto Alegre, mas dessa vez com menos cultura e mais gostosuras, rs!

Um beijo,

Gá.



Endereço da Usina do Gasômetro:
Avenida Presidente João Goulart, 551 - Centro, Porto Alegre - RS.

sábado, 28 de março de 2015

Um café, por favor! - Porto Alegre

Boa noite, gente!

Na semana passada estive em Porto Alegre - RS. Além de ter sido uma semana super produtiva profissionalmente, tive a oportunidade de dar uma passeada por lá.

Assim, inicio oficialmente as atividades neste blog contando um pouco sobre um dos lugares que visitei.

Cheguei na cidade em uma tarde de domingo e, como todo bom domingo, é dia de sair para tomar café!

Pesquisei lugares que ficavam próximos ao hotel e descobri o bairro Moinhos de Vento, um charme. Curiosidade: O bairro recebe esse nome em razão dos moinhos de vento que eram trazidos pelos açorianos vindos de Portugal, os quais procuravam um lugar para se estabelecer e plantar o trigo que, futuramente, seria moído.

Achei muito parecido com Moema, em São Paulo: Ruas bem arborizadas e tranquilas, gente bonita e variedade de opções para comer. Me chamou atenção também a quantidade de cachorros grandes e fofos que passeavam por lá com suas famílias. Adorei!

O lugar que escolhi foi a Barbarella Bakery, uma fofura...

Segundo o site:

Fachada externa

Pioneira e, ainda, única em seu conceito, a Barbarella Bakery surgiu em 2002 em Porto Alegre e pouco a pouco se tornou referência em termos de pão. Desde sua estreia, a casa acumula prêmios e reconhecimento direto do público de Porto Alegre e de todos os cantos o mundo que circulam entre as mesas da calçada do térreo e do mezanino, enfeitiçados pelo sabor. Baguette, pain au levain, pain au chocolat, tartine, quiche, koglouf, bagel, danish, cookie e tantos outros itens expostos no balcão e reunidos no cardápio respeitam a tradição de suas receitas originais aliadas às técnicas contemporâneas.

Padaria
Pura sedução e cheirinho de pão.  A figura da mulher guerreira, sensual e futurista da heroína Barbarella de origem francesa nos quadrinhos, mas famosa na pele de Jane Fonda no cinema, simboliza o mix moderno-contemporâneo-retrô da padaria, que além de pães e sanduíches, tem no cardápio sopas, cremes, saladas, doces, cafés, chás, suco, cerveja e vinho. 

Experimentei o Barbarella Sandwich, sugerido pela casa: Pão crocante por fora e macio por dentro, fatias de rosbife, muito queijo gorgonzola e cebolas caramelizadas. Divino!

Para acompanhar, um chá bem gelado a base de laranja, gengibre e canela... sério, o melhor que já tomei.

Ainda não satisfeita e, para não perder o costume, tive que experimentar o capuccino. Normalmente não gosto dos que são feitos com café expresso, leite e chocolate meio amargo. Sempre preferi o de pozinho mesmo, aqueles que a gente compra no mercado, rs. Mas esse me surpreendeu: Metade da xícara era o chocolate meio amargo! O que o transformou em uma ótima opção de sobremesa. 

Pena que só lembrei de tirar a foto no final!
Charmoso, não?
Clima gostoso com as mesas na calçada
A visita de domingo terminou por aí... mas, antes de voltar para Florianópolis, na sexta-feira seguinte, meu último lanchinho na terra dos gaúchos foi lá também. 
Como levei os colegas de trabalho junto, resolvemos experimentar uma cerveja artesanal gaúcha, para comemorar o fim da ótima semana semana que tivemos.

Vejam que graça:

A cervejaria é de Porto Alegre mesmo e obedece a Lei Alemã da Pureza de 1516, produzindo através de métodos artesanais, sem utilização de aditivos ou conservantes, cervejas naturais, não filtradas ou pasteurizadas.

Além de que esse growler é demais, né?

Bom, padaria aprovadíssima e indico para quem visitar a cidade.

Vale citar que o bairro conta ainda com o shopping Moinhos, que, apesar de não ser o maior da cidade, possui uma cartela grande de lojas, além de cinema e mais opções gastronômicas.

No próximo post eu conto sobre os outros lugares que valeram muito a pena conhecer na capital gaúcha.


Beijos,

Gá.


Mais informações:

http://www.barbarellabakery.com
http://www.abade.com.br/abadessa


Olá!

Sejam bem vindos ao Le strict nécessaire!

Necessário? Sim! Porque eu adoro compartilhar experiências, lugares, dicas, textos e fotografias.

Aqui vocês encontrarão um pouco de tudo que me cerca: decoração, lazer, comidinhas minhas e, sim, da dona Norma (com receitas!), lugares fofos, fotografias, cachorros e um pouquinho de beleza e moda.

Fiquem a vontade para seguir, comentar, sugerir... a ideia é trocar ideias!

Espero que gostem.

Um beijo,

Gá.